Conheça algumas curiosidades sobre a profissão de aeromoça

Não é de hoje que a profissão de aeromoça desperta curiosidades e muitas moças querem saber como ser aeromoça, e, de fato, essa profissão vai muito além do que podemos ver nos corredores das aeronaves.

Além de precisar ter conhecimentos de primeiros socorros, sobrevivência, a aeromoça precisa também entender psicologia e ainda dominar práticas gerenciais.

E são tantas curiosidades envolvendo a profissão de aeromoça, que resolvemos mostrar aqui algumas delas. 

Confira!

1 – A primeira aeromoça

Lá atrás, ainda no comecinho do século XX, muita gente não sabia, mas, geralmente, eram os próprios pilotos que auxiliavam os passageiros no transporte de malas, ajuste de lugares, etc.

Embora algumas empresas até tivessem comissários, geralmente homens, eles não tinham muito preparo, apenas ajudavam no embarque e desembarque e eram encarregados de distribuir algodão para proteger os ouvidos dos passageiros do barulho.

E só então, em 1930, surgiu a profissão de aeromoça, e isso devido à insistência de Ellen Church, uma jovem enfermeira que obteve licença para pilotar aviões e sonhava em ser piloto, porém, nenhuma companhia aérea aceitava mulheres pilotando suas aeronaves.

Ela acabou, então, convencendo o executivo da Boeing Air Transport,  Steve Simpson, a contratar oito mulheres para cuidarem dos passageiros, que comumente passavam mal por conta das turbulências nas viagens. 

Foi assim que surgiu a tradição de mulheres trabalharem como aeromoças.

2 – A aeromoça é treinada para situações de emergência

Muita gente ainda não sabe, mas muito além de apenas servir quitutes e passar instruções aos passageiros, a aeromoça é capacitada para enfrentar situações de risco.

Toda aeromoça passa por treinamento intenso antes de poder exercer a profissão.

Os comissários de voo se preparam para atender passageiros em situações de risco, desde  mal súbito, problemas cardíacos e até ferimentos como cortes e fraturas.

Na verdade, ao final do curso de comissário de bordo, é preciso passar por um teste prático de sobrevivência, considerado muito difícil, para aprender a se portar em situações de risco e garantir a segurança dos passageiros e tripulação, sendo preciso, na ocasião,  aplicar todos os ensinamentos aprendidos durante a formação. 

Você também pode se interessar por:

3 –Passagens aéreas gratuitas

As aeromoças de voo nacionais têm direito a passagens gratuitas para todo o país e, em alguns casos, essa vantagem também se aplica à família e até amigos, senão na totalidade do valor, pelo menos em forma de desconto, embora algumas companhias aéreas sejam menos generosas, definindo um período do ano ou um número máximo de viagens.

E mais, visando facilitar a volta pra casa, e garantir um melhor aproveitamento do tempo de descanso, atualmente, os comissários de bordo ganharam direito ao chamado Passe Livre, que permite voar até por outras empresas áreas, desde que estejam com uniforme e que haja lugares vagos no avião. 

4 – Não existe mais um padrão tão rígido 

Ao contrário de décadas atrás, hoje já não há a exigência de se pertencer a um certo padrão, bem rígido anteriormente.

Hoje, já se permite comissários com 1,55m até 1,80m, para mulheres, e um pouco mais para homens, e isso só pela praticidade, pois se o(a) comissário(a) for baixo(a) demais, não conseguirá alcançar os compartimentos superiores para guardar as bagagens. Se for alto(a) demais, baterá a cabeça no teto da aeronave e terá dificuldade para se locomover no galley.

Assim como, por se tratar de um espaço pequeno, os comissários também não podem estar muito acima do peso, para poderem se locomover pelos corredores apertados sem dificuldades.

No mais, cada companhia aérea faz as suas exigências quanto a aparência do comissário, porém, de uma forma generalizada, a maioria prefere que este profissional não possua tatuagens à mostra e mantenha os cabelos amarrados e barbas aparadas, e isso, puramente, por uma questão de higiene.

5- Possuem muitos benefícios 

E quem pensa que as vantagens de ser aeromoça param nas viagens gratuitas, se engana, elas vão muito além, geralmente usufruindo de bastantes benefícios concedidos pela companhia aérea. 

Dentre os benefícios, podemos citar o adicional por horas de voo, valendo tanto as horas de voo diurnas quanto noturnas, além das horas de reserva e trabalho durante feriados e finais de semana.

No caso, por exemplo, de ser preciso pernoitar em alguma cidade, fica a cargo da empresa os custos com hospedagem e transporte dos funcionários, sem falar nos gastos com alimentação.

Isso sem falar em benefícios como gratificação por cargo e senioridade, licença maternidade e escalas-mãe para que as comissárias possam passar tempo com seus filhos e toda uma gama de cobertura, como seguro médico, odontológico e de vida, garantindo uma boa remuneração para comissários de bordo. 

Créditos de imagem: Pixabay.com

Comentários
Carregando...