Nem todas são magras e saudáveis: Anorexia Nervosa

Durante as festas de carnaval chamou a atenção, dentre tantas coisas, as observações a respeito da saúde de Bruna Marquezine em virtude de aparentar um corpo extremamente magro, evidenciado nas fotos, além do comentário inadequado do comediante Danilo Gentili.

Certamente a atriz Bruna  Marquezine está saudável, pois tem suporte de familiares, amigos e colegas de trabalho para saber que é possível ser magra com saúde. Principalmente ela, que sempre apresentou um biotipo magro. Além disso, seu trabalho e sucesso vem também da imagem, desta forma manter o corpo saudável deve constar na sua lista de prioridades.

Mas sua aparência magra assim como os comentários e prejulgamentos infelizes sofridos pela atriz,  chamam a tenção para um problema de saúde comum nas mulheres jovens e em adolescentes, a anorexia nervosa.

Transtornos Alimentar: Anorexia X Bulimia

Anorexia e Bulimia

As duas doenças são similares e passiveis de serem confundidas, pois ambas são distúrbios alimentares causados por inúmeros fatores. Desta forma quem tem transtorno alimentar,seja anorexia ou bulimia, tem um mal relacionamento com a comida. Em resumo uns comem demais enquanto outros de menos. Mas são problemas completamente diferentes que necessitam de acompanhamento e cuidados, além da certeza de um diagnóstico precoce para não alcançarem níveis críticos para o corpo.

Na Bulimia homens e mulheres são afetados igualmente. O bulímico não deixa de comer, na verdade se alimenta com apetite muitas vezes exagerado, mas após se alimentar estimula o vômito para eliminar tudo o que foi ingerido. Contudo não são indivíduos gordos nem magros mas são determinados e correm atrás do corpo perfeito ditado por um ideal de beleza extremo e não real. Inegavelmente o ato compulsivo de vomitar após cada refeição acaba trazendo outras consequências ao corpo como corrosão do esmalte dentário, úlceras e câncer de esófago, entre outros danos.

Entretanto a Anorexia Nervosa ,que pode ser leve e passageira ou grave e persistente, é um distúrbio que acomete muito mais mulheres jovens e meninas adolescentes do que homens. O  individuo que sofre de anorexia possui uma distorção da imagem do próprio corpo e se vê acima do peso mesmo estando muito magro.Todavia neste processo a pessoa deixa de comer e com o tempo tb deixa de sentir fome e o processo de emagrecimento é continuo.Além disso  o individuo se torna obsessivo por comida, seus pensamentos estão sempre voltados para as calorias do alimentos e em receitas que ele costuma fazer para outros, nunca para si. Infelizmente um quadro de depressão profunda faz parte do processo.

Entretanto, ambos os transtornos alimentares são graves e podem levar a morte se não forem tratados a tempo. De acordo com a Dra Pricilla Gil, especialista da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia “Em comum, ambos apresentam um medo intenso de ganhar peso ou engordar, além de vivenciar insatisfação ou mesmo distorção da imagem corporal”.

Tipo de Doentes com Anorexia

Anorexia imagem distorcida

Segundo dados do Hospital Israelita A. Einstein, no Brasil são cerca de 150 mil novos casos por ano de mulheres jovens e adolescentes sofrendo de anorexia nervosa. Uma média de um caso a cada 200 pessoas. De acordo com o endocrinologista José Carlos Appolinário da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia “O reconhecimento precoce de comportamentos alimentares inadequados, pressão exagerada para emagrecer, exercícios físicos excessivos, episódios de compulsão alimentar e métodos purgativos (vômitos auto-induzidos, abuso de laxativos e remédios para emagrecer) pode sugerir um diagnóstico de transtorno alimentar”.

Tipo Restritivo

A pessoa reduz a quantidade de alimento ingerido, porém não come de forma compulsiva nem pratica o estímulo ao vômito ou toma laxativos de forma regular . Mas Algumas destas pessoas com esse perfil praticam exercícios físicos em excesso. Dentro deste perfil, o doente pode ser mulheres jovens ou adolescentes entre 12 e 17 anos de idade  que sofrem com distorção de imagem do próprio corpo, o enxergando acima do peso mesmo não estando. Apesar de não parecer, este ainda é o grau mais leve do transtorno.

Tipo Compulsivo/Purgativo

O individuo também reduz a quantidade de alimento ingerido, mas quando se alimenta também come compulsivamente e pratica a purgação após cada refeição, isto é, provoca o vômito e ingere laxativos. A principio, este tipo de anorexia ,no inicio da doença, pode ser facilmente confundido com a bulimia pois o doente ainda não está muito magro e muitas vezes não está acima do peso e ninguém fica sabendo dos estímulos purgativos até ser evidente fisicamente.

Sintomas

Ansiedade e depressão

Em principio, os sintomas começam de forma sutil, mas vão se agravando na medida em que o desequilíbrio emocional aumenta. Todavia nos sintomas mais comuns e evidentes a pessoa deixa de se alimentar e conta as calorias de tudo obsessivamente, pula refeições, esconde e descarta alimentos intactos para não os consumir “num momento de fraqueza”, apresentam preocupação excessiva com o peso e a aparência mesmo já estando muito magras. Desta Forma se exercitam compulsivamente e a preocupação e a ansiedade intensificam-se à medida que se emagrece.

Além disso se pesam varias vezes no mesmo dia, provocam o vômito e tomam laxativos com frequência, usam roupas largas ou em varias camadas para esconder o corpo e avaliam a própria autoestima com base no seu nível de magreza.
Em virtude destas agressões ao corpo, somados a falta de nutrientes, ocorre queda de cabelo que ficam mais finos e quebradiços, a pele se torna emaciada, sem brilho e pálida. É frequente que a pessoa doente minta sobre quanta comida  consumiu e oculte o fato das purgações provocadas e seus hábitos alimentares nada saudáveis.

Sintomas Graves

Entre todos os distúrbios mentais e transtornos alimentares o que apresenta a maior taxa de mortalidade ao ano é a anorexia nervosa. As causas são inanição, devido a falta de alimento os órgãos não tem nutrientes o suficiente para continuarem exercendo suas funções fisiológicas e começam a entrar em falência, há perda muscular e de densidade óssea e nos casos em que a depressão se agrava antes das condições fisiológicas falharem, o suicídio acontece.

Ao mesmo tempo, isso ocorre porque o individuo doente se isola dos familiares, amigos e conhecidos, principalmente porque assim fica mais fácil esconder as alterações físicas da doença. Infelizmente, o comportamento normal de quem sofre com anorexia é não acreditar estar doente pois acha normal se preocupar com o corpo e com a alimentação.
Assim sendo raramente procura ajuda ,mesmo com familiares e amigos demostrando preocupação e falando a respeito.

Outro problema são os sites na internet que apoiam e incentivam esses distúrbios, ensinando as adolescentes como enganar a família sobre o a doença e como driblar a fome. Ao invés
de auxiliarem estão acelerando a morte destas pessoas.

Você também pode se interessar por:

 

Causas e tratamentos

Medicamento e tratamento

As causas que podem desencadear a anorexia são, principalmente, desequilíbrios emocionais como depressão e ansiedade. Além disso, traumas intensos como violência  física e emocional, a morte de alguém muito próximo, todos estes causam a susceptibilidade psicológica que predispõem certas pessoas a apresentarem anorexia nervosa. Da mesma forma, pessoas com certas características de personalidade que apresentam algum tipo forte de compulsão e excesso de meticulosidade, são exigentes quanto ao que consideram uma conquista ou um sucesso e o corpo ideal para estas pessoas é um sinônimo de ser bem sucedida socialmente.

Tratamento

Embora não exista um único tratamento para anorexia nervosa, nos casos mais graves, quando envolve desnutrição, tentativa de suicídio ou abuso de substancias, é necessário internação hospitalar para que seja feita a reposição nutricional correta, geralmente, via sonda, além de acompanhamento médico com suporte a vida, pois em muitos casos graves os órgãos estão a beira da falência funcional.

Entretanto, depois de superadas essas etapas criticas, é fundamental acompanhamento a longo prazo de especialistas na área da psicologia e medicamentos como antidepressivos e ansiolíticos, se preciso. Porém, acima de tudo, o apoio de familiares, amigos e a vontade do doente em aceitar ajuda e querer melhorar é a única forma de se obter sucesso e evoluir para a cura.

 

Crédito de imagem: Pxhere

Comentários
Carregando...