Assistentes virtuais podem trazer fake news para seus proprietários

Pouco conhecidos no mercado brasileiro, os auto-falantes com inteligência artificial já são uma febre no mercado americano. Diversas são as funcionalidades destes gadgets acionados pelo simples comando de sua voz, simplificando o dia a dia das pessoas.

Seja para pedir uma música, obter uma previsão do tempo, acender a luz da sala ou para saber qual foi o resultado do jogo do seu time de futebol, temos a certeza que eles farão parte de nossos dias.

Mas com o crescente número de informações erradas e duvidosas, também conhecidas como “fake news”, em um cenário aonde muitas vezes há pouca ou nenhuma verificação destes conteúdos, fica a dúvida do impacto que o aumento do número de usuários de interfaces de voz terá, com o acesso ao grande número de possíveis notícias falsas.

A Siri talvez tenha sido o primeiro assistente de voz conhecido mundialmente, seguidos dos seus sucessores Alexa e Google Assistent que se mostram muito mais populares e capazes de fornecer notícias sob o nosso comando.

Em outubro, a BBC News lançou um serviço específico para Alexa, vislumbrando a nova realidade de envolver os seus ouvintes através dos assistentes de voz. Para entender melhor como a pesquisa por voz está mudando a maneira de como as notícias são acessadas, distribuídas e as possíveis consequências, é necessário entender este novo ambiente para que possam ser feitas as constantes adaptações.

Com o crescimento dos assistentes de IA, a forma como recebemos as informações hoje pode ser alterada muito em breve, já que os assistentes permitem que sejam feitas perguntas de maneira óbvia. Uma simples frase: “Qual o resultado do jogo?” ou “vai chover hoje?” ou “o que está acontecendo na política de meu país?” será dita ao assistente que vai te falar a resposta.

Assim como as televisões, é previsto que eles estarão em milhares de residências em todo o mundo e muitos são as mudanças e os desafios que surgem com os novos métodos de acesso à informação. Uma vez que os algoritmos dos assistentes dos IA nos guiam e nos entregam partes destes conteúdos, o perigo da pesquisa de voz especificamente é que dados e trechos curtos e de fácil interpretação, que os diversos assistentes inteligentes tendem a fornecer, façam com que os usuários tenham a noção errada e incompleta ou até mesmo excessivamente simplista dos eventos, podendo ser tendenciosa ou mesmo apresentar somente um lado da história.

O que se sabe é que o sucesso do podcast deixa claro como as pessoas adoram áudios, e os mais jovens principalmente, pois se encaixa na rotina do seu dia a dia. O grande desafio com toda essa mudança na forma em como recebemos essa informação, que hoje temos na palma de nossas mãos em nossos smartphones, é trazer ela com dados mais completos e seguros, já que a conveniência que uma conversa de IA possa tornar a verdade em nosso lar cada vez mais difícil.

Comentários
Carregando...