Conheça as 4 cidades mais extremas do nosso planeta

O ser humano é aventureiro por natureza e está sempre disposto a fazer o possível para ter os recursos necessários para prosperar, construindo cidades, até mesmo em lugares, cujo as condições são extremas.

Algumas dessas cidades, claramente não deveriam estar aonde estão. Algumas delas, prosperaram, porém outras, os habitantes travam uma batalha contínua pela sobrevivência.

 

 

Mawsynram, India

Moradores de Mawsynram se protegendo da chuva

Mawsynram é um vilarejo de aproximadamente mil habitantes e é conhecida como a região mais chuvosa do planeta. Ela recebe 12.000 milímetros por ano, mais chuvas do que qualquer outra cidade. Para você ter noção da quantidade de chuva que Mawsynram recebe, compare com a cidade de São Paulo, que recebe em média 1.500 mm de chuva por ano. Em Mawsynram os trabalhadores que trabalham ao ar livre geralmente usam guarda-chuvas de corpo inteiro feitos de bambu e folhas de bananeira.

Ponte viva - Índia

Uma das características mais fascinantes e bonitas da região são as “pontes vivas” que abrangem os vales encharcados de chuva. Durante séculos, os habitantes locais treinam as raízes das seringueiras para se transformarem em pontes naturais, superando estruturas de madeira feitas pelo homem que apodrecem em apenas alguns anos. As pontes são auto fortalecidas, tornando-se mais substanciais com o tempo, à medida que os sistemas radiculares crescem.

 

Assuã, Egito

Assuã Egito

Assuã é uma cidade com mais de 1,5 milhão de habitantes e fica a 950 km da capital do Egito, Cairo e é considerada a cidade mais seca do planeta. O contrário do vilarejo anterior, em Assuã, chove apenas 1 milímetro por ano, e mesmo tendo toda essa escassez de chuva, ela não sofre por falta de água.

Por estarem próximos do rio Nilo e também por terem a represa de Assuã situada por lá, possuem capacidade suficiente para abastecer as casas de mais de 300 mil habitantes da região.

 

Cidade Wadi Halfa, Sudão

Wadi Halfa

A cidade de Wadi Halfa, no Sudão, é uma cidade de extrema pobreza. Ela está localizada no deserto do Saara, na fronteira com o Egito e possui uma população de aproximadamente 16 mil habitantes. Por lá também chove muito pouco; em média 2 milímetros por ano.

Mas o que chama a atenção por lá é a sua temperatura. Suas máximas normalmente já são muito altas e chegam a 41º C nos meses de maio a outubro. Mas é muito comum as temperaturas ultrapassarem essas médias. Já foi registrado a temperatura de 53º C na cidade.

Se você quiser conhecer Wadi Halfa, terá que se hospedar em algum dos poucos hotéis que existem por lá.

Você também pode se interessar:

Oymyakon, Rússia

Oymyakon Rússia

A cidade fica localizada a leste da Sibéria e possui uma população de aproximadamente 500 habitantes. Ela é conhecida por ser o local habitado mais frio de todo o planeta. Além de Oyamyakon, nas proximidades estão localizadas outras 5 cidades que juntas, totalizam 5 mil habitantes.

A temperatura mínima é de -50° C (menos cinquenta graus célsius) de dezembro a fevereiro. A mais baixa temperatura já registrada na cidade foi de -71,2° C

Por lá só é possível que crianças brinquem na rua por até 20 minutos enquanto a temperatura está abaixo dos -60° C. As casas não possuem água encanada, já que ela congelaria nos canos. Quando alguém morre, é preciso acender uma fogueira no chão para conseguir derreter o gelo e cavar a sepultura.

Então, gostou da matéria?

Que tal nos seguir também no Facebook e no Twitter? Assim poderá acompanhar ainda mais todos os assuntos publicados pela equipe do Mundo do Curioso a respeito de itens como Fatos curiosos, Bem estar, Saúde, Entretenimento, Ciência e Tecnologia entre outros relacionados ao mundo e suas peculiaridades.

 

Comentários
Carregando...