Os Engenheiros da Fórmula 1 estão fazendo algo fantástico para combater o Coronavírus

A Fórmula 1 pode até estar paralisada temporariamente em função da pandemia do coronavírus, porém os engenheiros do time da Mercedes não mediram esforços para produzir, em menos de uma semana, um modelo de respirador.

Muito necessário na recuperação de pacientes com dificuldade de respirar, o respirador foi desenvolvido junto a médicos do University College London e do University College Hospital, o hospital universitário da instituição.

O modelo é baseado em um tipo de respirador específico já existente e é chamado de Continuous Positive Airway Pressure – CPAP (Pressão positiva contínua das vias aéreas). Esse modelo de respirador, permite que o ar seja enviado para a boca do paciente por meio de uma mangueira, aumentando a quantidade de oxigênio que entra nos pulmões, facilitando a respiração e auxiliando na recuperação.

Um dos sintomas mais graves da doença causada pelo coronavírus é a dificuldade para respirar. A tecnologia vai permitir que mais pacientes em situação não tão grave, possam ser tratados sem a necessidade dos cuidados de uma Unidade Intensiva de Tratamento (UTI), podendo ser assistidos em outro ambiente, deixando os leitos de UTI para os pacientes com maior risco de vida.

Antes que comecem a produzir em maior quantidade, 40 respiradores foram entregues para a University College Hospital e outros três para hospitais de Londres, para que possam ser testados. Com a aprovação dos dispositivos em teste, em apenas uma semana eles já poderão iniciar a produção de mil unidades por dia, na fábrica da equipe de Fórmula 1 da Mercedes, que está localizada na cidade de Brackley, Inglaterra.

Tim Cook, professor de anestesia e medicina intensiva do hospital Royal United, em entrevista para o The Guardian disse que:

“uma enfermaria provavelmente pode cuidar de 10 desses pacientes com duas enfermeiras e um médico. Dez pacientes em UTI podem precisar de cinco ou dez enfermeiros e três a quatro médicos. O custo e a mão de obra necessários na UTI são muito, muito maiores, e a UTI é muito mais complexa e perigosa.”

O dispositivo CPAP, desenvolvido pelos engenheiros da equipe da Mercedes em apenas uma semana, teve a liberação pela Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde do Reino Unido, para a fabricação em grande quantidade. Apesar deste tipo de respirador já ser encontrado nos hospitais, ele não é encontrado em grandes quantidades, já que em condições normais, não existe tantos pacientes com problemas respiratórios ao mesmo tempo como agora, em função da pandemia do coronavírus.

Problemas no respirador criado pelos Engenheiros da Fórmula 1

Mesmo sendo essencial na recuperação de pacientes que venham a apresentar problemas respiratórios, este tipo de respirador apresenta um inconveniente no tratamento do Covid-19. Ele permite que a saliva do paciente vaze pelos lados da máscara, possibilitando que gotículas infectadas, possam vir a entrar em contato com os profissionais da saúde. Por este motivo, os profissionais já estão pensando em alternativas para minimizar estes problemas e ajudar o máximo de pessoas possíveis, para que possam se curar do Covid-19.

Você também pode gostar:

 

Desafio do respirador

Querendo multiplicar a produção de ventiladores no Reino Unido, foi criado o “VentilaorChallengeUK” (desafio dos respiradores), aonde diversas outras empresas do Reino Unido se uniram para aumentar a produção destes dispositivos. Empresas como a Airbus, Ford e Rolls-Royce fazem parte deste grande time, além da Siemens, com seu conglomerado industrial.

Crédito imagem: pxhere 

Curioso por mais matérias como esta? Navegue pelo site do Mundo do Curioso, acesse e também compartilhe em nossas redes sociais no Facebook e Twitter.

Comentários
Carregando...