6 fatos interessantes sobre as catacumbas de Paris que você provavelmente não sabia

Philibert Aspairt, um porteiro, entrou nas catacumbas em 1793, não foi mais encontrado.

Paris é conhecida como a cidade do amor. É ridiculamente engraçado que uma cidade conhecida por sua celebração do amor tenha um segredo tão sombrio abaixo da terra. O local em questão foi originalmente construído como o “Ossuário Municipal de Paris” em 1786, a qual mais tarde ficou conhecida como as lendárias ‘Catacumbas’, inspirada nas catacumbas romanas.

Somente em 1809 as Catacumbas foram abertas ao público, mas, no entanto, as pessoas enlouqueceram quando as referidas Catacumbas foram abertas. Aqui estão onze fatos fascinantes sobre as Catacumbas de Paris:

 

Plantação de cogumelos

As Catacumbas de Paris têm sido usadas para vários fins, mas um dos mais estranhos deles, é o cultivo de cogumelos. Uma história sugere que o exército napoleônico se escondeu nas catacumbas e acabou descobrindo que o ambiente propício e perfeito para o cultivo de cogumelos.

Além disso, vários outros fazendeiros os seguiram e começaram a cultivar cogumelos em meio aos cadáveres de mais de seis milhões de pessoas. A referida prática ainda existe, e acredita-se que os cogumelos da catacumba têm um sabor excepcional.

 

Uma antiga pedreira de calcário

Paris era a maior cidade da Europa no século XVII. Seus cemitérios estavam superpovoados e os corpos eram frequentemente desenterrados. Os residentes de certos bairros reclamariam de odores insuportáveis ​​de cadáveres em decomposição e por isso, as autoridades parisienses decidiram transferir os corpos dos cemitérios para as antigas pedreiras de calcário, conhecidas como Tombe-Issoire.

 

Ossos decorativos

Caveiras decorativas

Alguns dos cemitérios de Paris tinham centenas de anos e consequentemente uma quantidade enorme de pessoas ali sepultadas. O processo de transferência dos restos mortais de mais de seis milhões de pessoas levou alguns anos para ser concluído.

Inicialmente, os ossos que chegavam a catacumba eram despejados em enormes pilhas. No entanto, a impressionante disposição dos ossos, observada nas imagens, era de responsabilidade do inspetor geral de subterrâneos que alinhava os crâneos de forma decorativa, empilhando o restante do esqueleto, sem ordem, na parte de trás.

Você também pode se interessar:

Centenas de quilômetros em galerias

Mapas das catacumbas de Paris

Diz-se que os membros da Resistência Francesa usaram ativamente o sistema de túneis subterrâneos durante a Segunda Guerra Mundial. Por ser muito extenso, com aproximadamente 300 km de galerias, estratégias e ataques aos alemães foram ali planejados.

 

Desaparecidos nas catacumbas

Lapide de Philibert Aspairt

Pessoas perderam suas vidas nas Catacumbas de Paris. Philibert Aspairt, um porteiro que trabalhava no hospital de Val-de-Grâce, entrou nas catacumbas em 1793 e nunca mais voltou. Ele entrou na catacumba por um acesso localizado no pátio do hospital e seu corpo não foi descoberto por onze longos anos. No entanto, seus restos foram encontrados perto da entrada 11 anos depois.

 

Maior necrópole do mundo

Com mais de seis milhões de ossadas depositadas nas diversas galerias, as Catacumbas de Paris detêm o título de maior necrópole do mundo, atraindo milhares de visitantes ano a ano. Hoje, apenas uma pequena área é destinada aos visitantes e está localizada a 20 metros abaixo da superfície.

Então, gostou da matéria?

Que tal nos seguir também no Facebook e no Twitter? Assim poderá acompanhar ainda mais todos os assuntos publicados pela equipe do Mundo do Curioso a respeito de itens como Fatos curiosos, Bem estar, Saúde, Entretenimento, Ciência e Tecnologia entre outros relacionados ao mundo e suas peculiaridades.

Crédito imagem: pixabay

Comentários
Carregando...