Uberdai – O avião compartilhado da Uber para 2023

Nos últimos anos presenciamos uma enorme mudança na forma como nos locomovemos pelas cidades. Basta um smartphone com internet para que você tenha diversas formas de ir de um ponto a outro da cidade. Seja dividindo uma corrida de carro com outras pessoas, andando de bicicleta ou até mesmo de patinete, o transporte compartilhado popularizou e facilitou a vida de milhares de pessoas no mundo inteiro.

De 7 a 10 de janeiro aconteceu a CES 2020 na cidade de Las Vegas, Estados Unidos, aonde a Uber e a Hyundai, apresentaram em parceria o Uberdai; um avião elétrico, com velocidade de até 180 km/h, com capacidade para levar um piloto e três passageiros.

O Uberdai, que teve sua maquete exibida em tamanho real na CES, tem autonomia de voo de até 160km e promete reduzir os tempos de viagem, ajudando a tirar carros das congestionadas ruas das grandes metrópoles até o ano de 2023. Embora já contem com um projeto para o Uberdai autônomo, aonde não existe a necessidade de um piloto, de início as aeronaves serão tripuladas.

Apesar da grande parceria entre a renomada Uber, que já atua no transporte compartilhado em grande parte do mundo, e a Hyundai, o mercado de transporte voador compartilhado já vem sendo explorado por outras empresas. Em 2019, a Boeing começou a testar o Boeing NeXt, uma aeronave elétrica com autonomia para 80 km e a Bell Helicopter apresentou o Bell Nexus, feito para “redefinir as viagens aéreas”.

Você também pode gostar dos seguintes artigos:

Pronto para voar?

A Uber tem investido no céu a alguns anos, unindo forças com diversas empresas aeroespaciais, para construir uma frota de pequenas aeronaves. Em 2019, no Uber Elevate Summit, revelou o conceito criado em colaboração com a Jaunt Air Mobility, que visa criar uma aeronave totalmente autônoma até 2029.

Este projeto é chamado de aeronave composta, uma combinação de helicóptero com avião, com um motor para tirá-lo do chão como um helicóptero e asas para voar como um avião conforme sua velocidade aumenta.

Para os próximos anos já poderemos utilizar estes aviões compartilhados em algumas cidades dos Estados Unidos e da Austrália. E no Brasil, será que veremos tão cedo um desses passando por cima de nós?

Comentários
Carregando...