Informações importantes sobre o novo coronavírus (COVID-19)

O novo coronavírus, também conhecido como COVID-19, está se espalhando rapidamente entre diversos países e recentemente chegou ao Brasil através de pessoas que voltaram de viagens ao exterior. Após os milhares de contágios ocorridos na China, aonde se deu início a pandemia, se sabe que por lá, o contágio de pessoas com o COVID-19 tem se estabilizado devido o intenso trabalho feito pelos profissionais de saúde, mas também pela conscientização da população, evitando a propagação da transmissão.

Agora, o novo epicentro, aonde um grande número de contágios está ocorrendo é a Itália. De uma forma muito mais intensa que na China, a excessiva quantidade de pessoas infectadas ao mesmo tempo, tem feito com que o sistema de saúde italiano não de conta de atender tantos casos graves.

Não bastasse a Itália, diversos outros países de todos os continentes já estão confirmando casos do COVID-19, inclusive no Brasil. A OMS declarou pandemia mundial e tem insistido na conscientização de todos para que o número de infecções comunitárias (quando não se sabe a origem da infecção) não tenha um aumento exponencial. Além disso, os governos têm trabalhado insistentemente nesta mesma conscientização.

O momento que estamos passando, parece mais um desses filmes sobre epidemia que assistimos e por vezes imaginávamos como seria se fosse real. Já que infelizmente este momento chegou, trouxemos algumas informações que possam ajudar a prevenir a você e a sua família.

Com o novo coronavírus agora no Brasil, corro perigo?

Ministro da Saúde - Governo Brasileiro

Até o momento, há aproximadamente 400 casos confirmados de pessoas infectadas com o novo Coronavírus, sendo que nestes casos, já foram identificados pacientes com contaminação comunitária. Acredita-se que nas próximas semanas, esse número vai aumentar consideravelmente.

Sabendo que já está existe a transmissão comunitária, ou seja, a transmissão do vírus de uma pessoa para a outra, sem que se saiba a origem desta infecção, alguns cuidados devem ser tomados para conter a contaminação.

O COVID-19 é extremamente perigoso para pessoas que possuem asma, pressão alta, diabetes ou que sofram de alguma doença crônica. Além disso, os idosos fazem parte deste grupo de risco, sendo os mais prejudicados.

A taxa de mortalidade no mundo até o momento é de aproximadamente 3,97%, porém, para os idosos, a taxa de mortalidade pode chegar a 20%, ou seja, para cada 5 idosos infectados com o coronavírus, um morre.

Já entre as pessoas mais jovens, a taxa de mortalidade é inferior a 1% e na maioria dos casos, a pessoa não sente sintoma algum. O grande problema é que as pessoas mais jovens são os maiores transmissores do COVID-19 para outras pessoas e principalmente para as que fazem parte do grupo de risco, como os idosos.

O que posso fazer para proteger a mim e a minha família?

A higiene pessoal e o isolamento social é uma das principais armas contra a disseminação do COVID-19.

É muito importante que as mãos sejam frequentemente lavadas da forma correta. Caso você não tenha como lavar as mãos, a desinfecção pode ser feita utilizando álcool gel.

 

 

Como o vírus tem acesso ao nosso corpo, principalmente através da boca, nariz e olhos, é muito importante que cada um se policie para não colocar as mãos no rosto, pois caso isso aconteça e você tenha tocado algo ou alguém aonde o vírus estava exposto, você corre o risco de ser infectado.

Evitar comprimentos de mão, beijos, abraços ou qualquer outro contato físico é recomendado para travar a contaminação. Beber no mesmo copo, utilizar os mesmos talheres e até mesmo secar o rosto na mesma toalha que outra pessoa secou, pode colocar você em risco.

Neste momento, com o início da disseminação do COVID-19 no Brasil, e já prevenindo que milhares de pessoas venham a ser contaminadas, grandes centros já proíbem eventos aonde haja a aglomeração de pessoas. Na cidade de São Paulo, museus estão sendo fechados, além de colégio e universidades. Algumas empresas estão deixando que pessoas do grupo de risco, trabalhem a partir de casa e outra estão dando férias coletivas para que todos fiquem em casa.

Há uma grande comoção para que as pessoas fiquem em suas casas fazendo assim, com que a transmissão do COVID-19 seja interrompida. De fato, a melhor forma para não contrair o vírus, é não se expor a ambientes com pessoas que possam estar infectadas.

Tenha a consciência de que a melhor forma de impedir que essa doença seja disseminada é evitando sua infecção, e assim, evitar que você seja também um transmissor. Por isso, evite aglomerações, lave constantemente as mãos e evite colocar as mãos no rosto. Se possível, fique o máximo de tempo dentro de casa.

Quais os sintomas do novo coronavírus?

A grande maioria dos casos do novo coronavírus apresentou febre e sinais de pneumonia (tosse ou falta de ar). Em casos mais graves, as pessoas não conseguem respirar sem a ajuda da ventilação mecânica.

O que devo fazer se estiver com alguns destes sintomas?

Caso você sinta algum dos sintomas listados anteriormente dentro de 14 dias, fique tranquilo. Não vá imediatamente para um hospital. Ligue para um dos números telefônicos fornecidos pela Prefeitura da sua cidade ou Governo do estado e solicite orientações de como você deve proceder.

Se seu histórico de sintomas relatados se encaixarem na infecção de COVID-19, você poderá fazer o teste para confirmar o contágio. No Brasil, o teste está sendo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ.

 

Você também pode gostar:

 

O que mais poderia ser?

Muitos outros vírus respiratórios, como a influenza, VSR, rinovírus e outras variações do coronavírus humano, que são diferentes do novo coronavírus COVID-19, circulam entre a população mundial. Portanto, mesmo que você tenha se exposto a alguns fatores de risco, a probabilidade de você estar contaminado por algum destes outros vírus existe.

Existem outros coronavírus?

Sim. São conhecidos quatro tipos de coronavírus que circulam pela população mundial. Porém, causam leves sintomas de um resfriado comum e são de fácil tratamento.

Curioso por mais matérias como esta?

Siga as nossas redes sociais no Facebook e Twitter. Assim você pode acompanhar tudo sobre as mais diversas curiosidades de todo o mundo.

 

Crédito imagem: pxhere

Comentários
Carregando...