Pacientes com COVID-19 permanecem contagiosos após os sintomas desaparecerem

Pesquisadores alertam que uma grande parte dos pacientes com COVID-19 permanece contagiosa por algum tempo depois que seus sintomas desaparecem.

A transmissão do coronavírus ocorre de pessoa para pessoa através de secreções contaminadas. Gotículas de saliva, espirro, tosse, toque, aperto de mão ou o contato de objetos ou superfícies contaminadas, seguido do contato com a boca, nariz ou olhos.

Os pesquisadores alertam que uma grande parte dos pacientes com COVID-19 permanece contagiosa por algum tempo após os sintomas desaparecerem. Eles publicaram suas descobertas em um artigo no  American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine. O estudo apresenta resultados de que os pacientes ainda podem ter o vírus e permanecer contagiosos, transmitindo para outras pessoas, por até 8 dias após o desaparecimento dos sintomas.

 

Pacientes com sintomas leves

Máscara Covid-19

O estudo se concentrou em um pequeno grupo de 16 pacientes que foram tratados de uma infecção leve por coronavírus em um hospital chinês entre o final do mês de janeiro e o início de fevereiro deste ano. A idade média dos pacientes era de pouco mais de 35 anos, idade em que os pacientes, em média, apresentam mais frequentemente sintomas leves do que os pacientes com idades mais elevadas.

Para determinar se os pacientes ainda carregavam o vírus, os cientistas analisaram amostras da garganta, que foram retiradas de todos eles em dias alternados. O estudo determinou que aproximadamente metade dos pacientes continuava portando o vírus, mesmo depois de não apresentar mais nenhum sintoma, parecendo terem se recuperado completamente.

Os pacientes apresentaram vários sintomas, incluindo os principais: dificuldade em respirar e febre. Eles foram tratados com uma variedade de medicamentos para atenuar esses sintomas. O período de incubação para quase todos os pacientes foi de cinco dias e a duração média dos sintomas foi de oito dias.

O período em que os pacientes recuperados ainda carregavam o vírus após a manifestação dos sintomas parecia variar bastante entre o grupo estudado. Em alguns pacientes, o vírus desapareceu após um dia, enquanto em outros, o vírus permaneceu ativo por até oito dias após o desaparecimento dos sintomas.

Dr. Lokesh Sharma, da Escola de Medicina de Yale e co-autor do estudo, declarou que a descoberta mais importante de suas pesquisas é que metade dos pacientes continuavam eliminando o vírus mesmo depois de não apresentarem mais nenhum sintoma do COVID-19.

Acrescentou ainda que infecções de pacientes com sintomas mais graves que os estudados, podem levar tempos de transmissão ainda mais longos. Mas isso ainda não foi confirmado, pois os 16 pacientes que participaram do estudo apresentavam apenas sintomas leves da doença.

 

O distanciamento social é inevitável

Distanciamento Social

Em cima das descobertas deste estudo, os autores compartilharam alguns conselhos. O autor correspondente, Lixin Xie MD, recomenda ficar em casa por mais duas semanas após se recuperar de uma infecção por coronavírus com sintomas leves, para garantir que outros não sejam infectados. Além disso, os autores do estudo enviaram uma mensagem para a sociedade médica, afirmando que pacientes assintomáticos ou recentemente recuperados devem ser tratados com o mesmo cuidado que os pacientes sintomáticos com COVID-19, já que ambos, parecem continuar transmitindo o vírus.

Você também pode gostar:

Obviamente, os cientistas enfatizaram que é necessária uma investigação mais aprofundada, pois suas pesquisas se concentraram apenas em um pequeno grupo de pacientes com sintomas leves. Até o momento, ainda não está claro se resultados comparáveis ​​seriam válidos para pacientes mais suscetíveis como idosos, pacientes em terapia imunossupressora e pacientes com sistema imunológico suprimido.

Crédito imagem: pixabay

Curioso por mais matérias como esta? Navegue pelo site do Mundo do Curioso ou acesse nossas redes sociais no Facebook e Twitter.

 

Comentários
Carregando...