Álcool gel caseiro: mitos e fatos

Assim que a pandemia de coronavírus chegou ao Brasil houve uma procura excessiva por álcool gel e álcool liquido 70%, a ponto destes produtos sumirem das prateleiras dos mercados e farmácias.

Todavia quando encontrados estavam com os preços muito elevados, assim começaram a surgir receitas de álcool gel caseiro como paliativo e com efeito calmante para a população. Porém, segundo os especialistas a melhor forma de se proteger contra o coronavírus é lavar as mãos corretamente. Assim o Mundo do Curioso resolveu esclarecer: Álcool gel caseiro: mitos e fatos

Álcool gel caseiro: mitos e fatos

O maior problema está no preparo do álcool gel caseiro pois quando usado álcool liquido numa porcentagem alta acima dos 70% ele é ainda mais inflamável e muitas receitas utilizam calor no preparo o que pode causar acidentes envolvendo queimaduras graves.

Além disso, outros preparos possuem na receita material do gênero alimentício que pode ajudar no aumento da proliferação de outros agentes como fungos e bactérias.

Aliás outra dificuldade é acertar a quantidade certa de álcool e os diluentes para que o produto continue com a concentração ideal de 70% de álcool.

Mitos

os mitos do álcool gel caseiro são perigosos porque dependendo dos produtos utilizados na fabricação caseira ao invés de eliminar o vírus pode potencializar sua proliferação e infecção e o uso de certas substâncias podem causar irritação na pele.

Receitas que utilizam material de gênero alimentício

Receitas que falam em preparar álcool gel misturando gêneros alimentícios para dar a consistência correta como gelatina incolor e amido de milho funciona para matar o coronavírus é mito.

Ambas as receitas não são seguras, pois dificilmente a pessoa que vá preparar a mistura conseguirá calcular corretamente a quantidade de álcool usada para que, com a diluição, o produto permaneça em 70%. Além disso, gelatina e amido de milho são alimentos e estragam, fermentam, desta forma se tornam o ambiente ideal para o crescimento de fungos, bactérias e ainda não eliminam o coronavírus como desejado, pois não possuem função desinfetante nem antisséptica.

Além disso, ao mexer com álcool líquido 90% próximo a coisas quentes como fogão e água quente não é seguro. Este produto é extremamente inflamável e as chances de ocorrer um acidente com queimaduras graves e mesmo pequenas explosões existem.

Receitas que utilizam óleos e cremes hidratantes

O maior problema destas receitas está em garantir a sua eficacia devido a proporção correta de álcool para que quando for diluído nos óleos ou cremes permaneçam numa concentração antisséptica.

Inegavelmente a concentração correta de álcool no produto é importante pois é ele o responsável por dissolver a camada de gordura que protege o vírus e mantém todos as suas estruturas vitais intactas. Assim, sem a proteção da membrana de gordura é possível matar o vírus, mas isto só possível com a quantidade de álcool na concentração correta.

Analogamente é fundamental observar o prazo de validade dos óleos e cremes pois estes produtos estragam e podem causar alergias na pele, além de tornar o produto e ineficiente para eliminar agentes patogênicos.

Fatos

Fato, o álcool gel caseiro funciona e é eficaz contra o coronavírus desde que produzido com os materiais adequados, na concentração certa e com os devidos cuidados com a segurança pois exige uso de material inflamável, entre outros.

Primeiramente o álcool gel caseiro realmente eficaz deve ser produzido com carbopol, álcool etílico a 96%, trietanolamina e água, misturados e diluídos na proporção adequada.

O carbopol é um material que diluído em álcool 96% e água produz um gel neutro, sem outros químicos que possam fazer mal para a pele e muito utilizado para estabilizar emulsões e dar viscosidade a soluções. A trietanolamina é utilizada para balancear o pH em cosméticos, produtos de higiene e em produtos de limpeza.

Você também pode se interessar por: 

 

Porém, poucas pessoas estariam aptas a produzirem este material em casa, pois os riscos de acidentes são grandes ao lidar com o álcool com concentração de 96% e os demais produtos são difíceis de comprar ,pois muitos apesar de serem encontrados na internet, necessitam do numero de registro do conselho de um especialista em química ou farmácia para adquirir o material.

A principio, a possibilidade de resolver o problema da falta do álcool gel tornou as receitas caseiras, mesmo as mais inusitadas, um sucesso e um grande risco a saúde.

Todavia, se por um lado serviram para acalmar os ânimos e reduzir o medo e a ansiedade; por outro lado abriram portas para ocorrer graves acidentes envolvendo queimaduras, alergias na pele e o fato de ainda estarem desprotegidos do coronavírus.

Assim, o melhor meio de se proteger, entre todos os fatos e boatos, é o mais simples e barato que existe: lavar as mãos com água limpa e sabão por pelo menos 20 segundos.

Comentários
Carregando...